Lições no BSOP Millions

Esse texto saiu originalmente no blog oficial do PokerStars, onde o Sérgio Prado é o capitão, o link original é ESSE AQUI.

 

O BSOP Millions terminou e eu sai daquele hotel com a sensação de dever cumprido. Entre as retas conquistei o segundo lugar no maior torneio fora de Las Vegas, o 750k que teve 3866 entradas. Todos nós queremos o topo, mas terminar em segundo lugar em um torneio como esse é uma verdadeira vitória.

Tirei diversas lições, não só do 750k mas do BSOP por um todo e quero compartilhar com vocês, até por que entrará nas minhas metas futuras e acho que alguns pontos podem ser consenso em quem busca a constante evolução.

750 K Garantizado-LAPT-BSOP-MILLION-2015-9687.jpg

Uma maratona!

Um torneio de Poker é uma maratona, agora imagine um evento com 32 torneios, onde você consegue fazer aquilo que pregamos no online que é “caiu?! Se registra em outro!”. Por conta dos eventos do Akkari Team e do PokerStars no primeiro dia joguei apenas o dia 1B do 750k, do qual prevaleceu a máxima do “jogamos como nunca, caímos como sempre.” Já no segundo dia de evento, assim que passei do dia 1C do 750k, com meus bons e velhos 20bbs, já fui direto para o próximo torneio que estava começando, um turbo, que quando cai a madrugada já estava quase acabando. E assim foram por todos os outros dias, das 14h até as 2 da matina de jogo, sem parar, soma-se isso ao tempo de sair do evento e desligar a cabeça, ao tempo de chegar no evento com o trânsito caótico de Sampa, meu sono se resumiu a poucas horas todos esses dias. Agora junta isso a ficar sentado por muitas horas, buscando a concentração máxima e gastando toda energia possível, ia dormir literalmente destruído e acordava com o sentimento de quem tinha sido atropelado.

Vou confidenciar uma coisa para vocês, no penúltimo dia, em que eu jogaria o 6max, acordei tão atropelado, que nem conseguia levantar da cama, virei para um lado, virei para o outro e pensei “Pqp, estou vivendo um sonho, posso jogar todos os torneios e estou no meu melhor, não é hora de ficar de mimimi de cansaço, quando acabar vou ter muito tempo para esticar as canelas.”, levantei correndo, tomei um banho e voei para o evento, ainda fiz um 13th nesse torneio 6max onde peguei uma das mesas mais complicadas, com excelentes jogadores.

A conclusão desse aprendizado?! Que além de estar com o psicológico em dia para aguentar o sobe e desce de um torneio, o físico precisa mais do que nunca estar em dia, fui para o sacrifício e dei o meu melhor mas se estivesse em dia com coisas simples de uma vida saudável como acadêmia, a qualidade de vida teria ido lá em cima, teria me divertido mais e até tomado melhores decisões. Estar em plenitude com a saúde não te faz jogar um jogador melhor de poker em termos técnicos, mas te faz jogar muito melhor Poker, parece estranho não é? Mas pense na tomada de decisão, quem melhor está, melhor as toma.

Estudos

Durante o BSOP por diversas vezes joguei uma mão e pensei “caramba, fiz tudo direitinho” e fiquei bem contente com o meu desempenho, essa tomada de decisão foi graças ao estudo, a convivência com a galera do Akkari Team. Antigamente, por falta de conhecimento, essas decisões passariam batidas, simplesmente eu não tinha conhecimento e não aproveitava o máximo daquela ocasião. Como se houvesse uma cortina entre o certo e o errado. E o que me deixa feliz, é que ainda existe muito dessas cortinas, ou cascas, para serem retiradas, em outras palavras tenho muito que evoluir. Conversando com amigos nos intervalos, via que em algumas mãos que eu quebrava a cabeça, para eles os spots eram bem claros, a tomada de decisão era mais simples do que parecia, e esse mais simples não é só de facilidade, mas eles viveram tanto aquelas situações e masterizaram tanto o jogo que o que para muitos é complicado, para eles é corriqueiro.

Com isso vejo o quanto tenho a evoluir e melhorar, o quanto apesar de ter tido um BSOP dos sonhos, não posso simplesmente ignorar uma parte fundamental do jogo que é a constante evolução. Já ignorei isso algumas vezes e fui bastante punido, senti na pele o que é não estar jogando bem e ser cobrado por isso.

Saio desse BSOP recompensado em diversas áreas, com essas duas lições do que tenho que evoluir no âmbito pessoal e profissional, e mais recompensado ainda pelas milhares de mensagens que chegaram durante os torneios, durante o heads up e também depois parabenizando. Acreditam que até no metrô me pararam esses dias? Esse carinho não tem preço, vale mais do que qualquer broca, já que broca boa é broca cara.

Mais uma vez um muito obrigado!

Abraços,
Ban

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s