De hobby a profissão

(Texto originalmente publicado na Revista Flop de mar/2015, sem a edição e correções do Ari Aguiar.)

 

Quem começa a jogar Poker uma hora ou outra pensa na profissionalização, em viver de Poker e transformar aquele hobby em profissão e isso é normal e praticamente inevitável. Em todos os outros hobbies que praticamos raramente temos essa opção, normalmente não temos habilidade o suficiente para o tênis, a idade já passou para o futebol e assim vai.

A cada curso no QG Akkari Team, passam mais de 30 pessoas, ao todo está quase chegando na casa das 1000 pessoas que por ali passaram, e conversando com cada uma delas, junto com essa vontade ou da profissionalização ou de tornar oficialmente o Poker como um hobby lucrativo vem um monte de dúvidas, dúvidas sobre reta, setup, rotina de estudo e de grind.

 

A reta e rotina de grind.

Principalmente para quem joga torneios é necessário ter uma grade de torneios específicas e seguir dias e horários pré definidos, o que é contraditório para alguns já que deixaram a rigidez do trabalho normal buscando a flexibilidade do Poker ter disciplina.

Ter uma rotina pré definida, principalmente nos torneios é essencial, os torneios são uma maratona, longas horas e você precisa estar preparado naquele momento, não existe por exemplo, começar a jogar sabendo que no meio da tarde tem que buscar as crianças na escola, da mesma maneira, que se você morar sozinho, muito provavelmente terá que preparar toda a alimentação do dia antes de começar a jogar, ou você vai sair correndo no meio da session para atender o delivery? Sem falar que delivery normalmente é sinônimo de má alimentação, o que não combina com quem precisa cuidar do corpo para ter um melhor desempenho no decorrer do dia.

A disciplina com os torneios em si também é essencial, seja na questão do bankroll onde você vai buscar a melhor maneira de ganhar com o menor risco de quebrar quanto dos torneios em si, ou a disciplina com os horários, onde não basta saber a hora que vai começar mas ter a disciplina de parar quando a session está ficando muito longa, sem falar que é normal ter horas de pico o meio da sessão, quando você está habituado com aquela grade também está preparado para essas partes do dia, não é pego de surpresa e sabe administrar bem a quantidade de telas a mais.

 

O Setup.

 

O setup nada mais é do que o seu local de trabalho, englobando o seu computador e todos os periféricos, é claro que estamos falando de jogadores online. Você não só precisa ter um computador preparado para os programas de auxílio como o Holdem Manager, ICMizer e Holdem Resoucers mas acima de tudo precisa de um computador relativamente novo onde o “risco de dar pau” seja pequeno, com a manutenção em dia. Já imaginou se seu computador queima no meio da reta de domingo? Por isso é sempre bom ter um backup, uma alternativa para aquele momento indesejável, ter uma segunda alternativa nesse caso é sinônimo de não perder dinheiro e desenvolver em sua plenitude a sua profissão.

E não é só de computador e periféricos que estamos falando o mesmo vale para internet, um no-break e tudo que possa de alguma maneira parar de funcianar.

Rotina de estudos.

Já teve texto meu aqui e sempre enfatizo no blog, então nunca é demais falar sobre esse ponto, é simplesmente essencial, é o jogo antes do jogo.

Na agenda que montar para o seu jogo, você tem que ter dias específicos para estudar ou horários. Eu por exemplo, nas sextas feiras separo para os estudos, bate com os coachings que temos no Akkari Team e depois revejo minhas sessões e assisto alguns dias. Nas terças feiras faço antes de começar o grind. Na terça feira em específico dá para ver muito a diferença, antes de sentar às mesas meu cérebro já virou a chave para o Poker, chego jogando muito melhor do que um dia que almoço, relaxo um pouco e depois começo a session.

Um cronograma de estudos vai te dar a oportunidade de evoluir junto com o jogo, o Poker evolui a cada dia, e precisamos correr para não ficarmos defasados. As formas de estudos são diversas, nos vídeos por exemplo, há as escolas de Poker como o CT SuperPoker, há os coachings particulares onde além de dar aulas o que me força a estudar e pensar o jogo também tem aqueles eu que eu estou do lado do aluno, aprendendo com os melhores. E por fim, há as ferramentas, como eu disse lá em cima, utilizamos o Holdem Manager e Poker Tracker como auxílio nos estudos, que separam nossas mãos e as transformamos em estatísticas, há o ICMizer onde analisamos a matemática envolvida em uma mão e o Equilab onde vemos a equidade por de trás de uma mão. Esse tema de softwares de apoio pode ser um excelente tema para um artigo futuro.

 

Esses são só alguns pontos em que quando você for buscar a profissionalização terá que adaptar e levar bem a sério, existem muitos outros e nem se tivéssemos uma revista Flop inteira não conseguiríamos abordar todos, mas mês a mês vamos comentando sobre eles. Então se tem o Poker como Hobby e quer ser profissional, o primeiro passo é simplesmente tratar seu dia a dia de forma profissional, parece óbvio, mas essa disciplina e rotina pode e com certeza vai fazer muito bem para a sua lucratividade!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s