Mudanças no BSOP-2015

Nessa semana postei sobre o calendário do BSOP, da primeira etapa que acontece em fevereiro. Falei que de modos gerais tinha visto com bons olhos as mudanças mas na minha fanpage muita gente postou opiniões contrárias, algumas que eu concordo e outra que acho incabível que obviamente discordo.

Vamos lá e por partes, as principais alterações foram:

– Extinção do torneio 6-max.

– Main Event passa a ter Buyin de R$2.600 com a possibilidade de reentradas no mesmo dia de torneio.

– PLO passa a ter buyin de R$1.500.

– Entram na grade os torneios survivor, courchevel, 8mix game.

– O High Roller passa a ter buy in de R$ 6.000.

 

6-max.

Vou começar pela novidade que não gostei e tenho certeza que nenhum jogador gostou. Sinceramente não entendi por que o 6-max saiu da grade, é o torneio que sai daquela dinâmica do 10 handed, onde você joga mais poker e menos fold’em. Tenho certeza que vai haver um movimento grande de jogadores em favor da volta desse formato e a organização que sempre teve uma boa comunicação vai atender ou explicar (e bem rs) o por que da extinção.

 

Aumento de buyin.

O aumento aconteceu no Main Event, High Roller e PLO, acho justíssimo, brigamos por um Poker cada vez maior, por uma série reconhecida e com aval internacional. O aumento de buyin junto com um garantido de 1 milhão faz a viagem para todas as etapas valerem à pena. Com um buyin muito barato, entrar ITM não chega perto nem de salvar a hospedagem e viagem, um jogador profissional coloca tudo isso na balança.  Quem roda o circuíto sabe o quanto sai caro.

Sem falar que isso é um atrativo maior para quem é de fora do Brasil, antes do aumento, o cara lá de fora fazia a conversão e o buyin dava menos de 1k dolar… ou seja, a premiação final também seria equivalente! Não valeria a pena pegar um avião e sair do seu país.

 

Reentradas.

O LAPT já usa as reentradas faz bastante tempo, é uma das características e na mesma mão do aumento dos buyins acho que foi uma alteração feliz. Faz a viagem e o deslocamento até o torneio valer à pena. É claro que quem tem um bankroll mais estruturado vai usar isso a seu favor, podendo tomar mais riscos, mas em outro campo isso reflete também no prizepoll final. E outra se você sabe que o cidadão está atolando light, nada como adaptar o range e trazer a nosso favor.

Vi muita gente chamando a alteração de fator sorte, de bingo, entre outras coisas, acredito piamente que não. É tudo questão de se adaptar.

 

Novas Modalidades. (courchevel e 8game)

Na busca por transformar o BSOP em um evento é natural que tenham mais alternativas de jogos, não temos tradição nesses jogos, mas eles principalmente no caso do 8game são a essencia do Poker, é natural tê-los em uma grande série, mas não adianta querermos o glamour que o Stud tem nos EUA aqui no Brasil. Aos poucos vão ganhando força e se contarem pontos para o ranking vão dar um toque mais interessante para a corrida de jogador do ano, já que os grinders vão buscar explorar por pontos esses torneios com ‘menos’ regs.

E continuando a cornetada do 6-max, acho que faz total sentido adicionar esses paralelos mas sem tirar o torneio que todo regular gosta.

 

E o que vocês acharam?! Como viram essas mudanças?! Positivas como eu vi?

Conto com a opinião de vocês!

 

 

Abs,

Ban

O final de ano está chegando!

O final do ano chegou, poucos dias para as festas… junto com isso estava lembrando aqui das metas que fiz láááá no comecinho de 2014 e comecei a traçar as metas para 2015 que promete ser um ano do caral** !

Os planos para 2015 já começaram muito antes de 2014 acabar, a virada do ano é apenas um marco. Estamos trabalhando em projetos novos, ideias novas, perspectivas e horizontes que vão mudar não só a nossa vida como a de muita gente, seja ao nosso redor seja aquelas que querem masterizar o Poker!

Ainda não coloquei no papel nem revi as metas de 2014, mas sei que em algumas eu falhei e em algumas fui extremamente bem sucedido…. depois que eu fizer essa reflexão vou postar outro texto sobre… mas ai só lá pelo começo do ano…. preciso fazer uma reflexão daquelas….

Pensando bem superficialmente, lembro que uma das minhas metas era ter menos jogos e mais qualidade, sempre coloquei um volume insano e a vontade era diminuir esse volume para ter maior foco, optimizar resultados e cravar mais… nesse ponto eu falhei… fizemos muitas viagens, 1 mês na europa, 2 meses em Vegas e mesmo com tanto tempo fora do online tive um volume fora da curva, ou seja, nos meses que tive oportunidade de jogar online, joguei mais mesas que deveria… a real é que amo aquela loucura de muitas mesas, masterizar algumas decisões e ao chegar no final da session estar com várias retas finais… mas para subir aos high stakes vou ter que abrir mão desse volume, é inegável, é um processo natural.

Uma que me orgulho foi o volume do live, foram 12 torneios na Europa, quase 40 na trip para Vegas e todos aqueles no Brasil, contando CPH e BSOP. Um volume e experiência que poucos profissionais tem, junto com isso vieram retas finais de torneios ao vivo, reta final em San Remo, mesa final em Monte Carlo, mais retas finais e mesas finais em Las Vegas…. faltou só um desempenho satisfatório aqui no Brasil mas é mega normal contando o volume aqui.

Outra coisa que lembro que tinha na minha lista e que fiquei muito feliz foi a disseminação de conhecimento, lembro que falei sobre postar mais, criar mais textos, conteúdo e atingi essa meta… teve épocas é verdade que fiquei sem postar ou postei menos, mas na visão geral foi um sucesso, a meta para o ano que vem com certeza será acabar com esses tempos sem posts, fazer mais posts e com uma qualidade muito melhor!

Isso só aconteceu pelo feedback, pelas pessoas que compartilharam e ajudaram o trabalho a crescer… e 2014 foi só mais um  passo e se preparem que 2015 vai ser melhor ainda!

QG Club Akkari Team!

Na semana passada começamos a vincular a notícia de um novo projeto, o QG Club!

A ideia surgiu faz um tempo e sedimentamos o ponta pé inicial do projeto em uma reunião na semana passada lá na Escola Surto, é uma evolução de tudo aquilo que começou lááá no QG do Tatuapé. Obviamente o projeto tem muita relação com estudos e transmitir conhecimento, poder formar novos profissionais.

Aprendemos muito com as pessoas que passaram pelo time principal e pelo time micro, no curso de um final de semana passaram mais de 600 pessoas, onde compartilhamos um pouco do nosso conhecimento, já no curso semestral fomos cirúrgicos em aprofundar conhecimento! Em outras palavras o QG é na verdade um grande CT, centro de treinamento de pessoas!

No decorrer dos quase 20 cursos de um final de semana, conversando com todos eles, fomos entendendo melhor a necessidade daqueles que querem ou virar profissional ou ter um hobby muito mais lucrativo, sentar em seu home game e ganhar em uma noite agradável. No curso passamos as técnicas lucrativas, como masterizamos cravar torneios e ter uma visão totalmente diferenciada do jogo de Poker que é na verdade um jogo de pessoas e não de cartas!

Dentro dessas necessidades que fomos entendendo das pessoas, algumas delas era um tratamento mais pincelado, direto no problema dela, como uma continuação do curso, outras queriam que seus torneios fossem revistos, outras queriam fazer um hangout com algumas dúvidas específicas… aquelas pessoas que se destacaram, o curso era só o primeiro passo na abordagem lucrativa do Poker, saíram de lá querendo mais estudos e mais um poker vitorioso.

Estamos juntando todas essas ideias, todas essas facilidades para você estar mais perto de nós lá no QG Akkari Team, uma parcela da experiência do time micro ou então como fazemos nas nossas reuniões via skype para aprimorar nosso jogo. Dar uma experiência a mais para aqueles que querem evoluir!

Nesse fim de ano não vamos medir esforços para que tudo fique pronto o mais rápido possível. O QG inteiro está mobilizado nessa ação que vai dar a todos mais ensino de forma barata e eficaz!

 

Fiquem ligados que logo mais vem mais detalhes desse projeto!