Algumas metas para 2014!

Já fizemos nossa retrospectiva nos últimos dois posts, agora chegou a hora de traçar as metas para 2014!
Já tenho em mente mais ou menos cada uma, falta o “grau de intensidade” ou os números envolvidos. Li alguns artigos nos últimos dias e tracei o seguinte plano, nem um muito elevado para não beirar o impossível nem pessimista para não ficar estagnado, então lá vamos nós e não em uma ordem de importância ou cronológica:

1- 8400 jogos no online, Menos Volume Mais Qualidade!
Nunca imaginei que ia começar o ano diminuindo a quantidade de jogos pela frente, claro que vai ter algum mês que vou fazer 1600 jogos, isso é inevitável, amo longas sessions e trocentas telas voando cada uma para um lado. Mas vou primar pela qualidade, vou diminuir o número de jogos, focar mais. 8400 jogos no ano já é muita coisa para a maioria dos jogadores, mas muito menos do que posso fazer. Vamos atrás de mais foco!
2- 200k Cashes e um Roi melhor.
Esse item está diretamente ligado à meta 1, mas 200k cashes no ano é um marco e marcos precisam ser colocados à parte. Peguei um número 35% melhor que meu desempenho do meio do ano para o fim. O ROI esse sim vai ter que dobrar, diminuindo o volume praticamente pela metade é o mínimo que podemos estabelecer!

3- Bons resultados em torneios live.
2014 estava já nos planos de 2013 como o ano que eu iria começar nos torneios lives, ganhar experiência em um campo que eu ainda não tenho. Já estou confirmado no BSOP Sampa em Janeiro, os Planos para Las Vegas estão indo de vento em polpa e terei uma grade legal, espero que bata 30 torneios live, somando BSOP, Vegas e CPH e outro que pintar por ai, um número expressivo para quem não é grinder de live e o foco é o online. Não tenho amostragem para colocar como meta “uma ft”, “cravar tal torneio”… mas tenho a convicção que um bom resultado virá!

4- Saúde!!
Em 2013 definitivamente dei um grande passo nessa área. Primeiro que completou 1 ano que eu estou sem fumar e coloquei vários itens saudáveis na alimentação, como comida japonesa. Em 2014 a meta é aumentar o ritmo do ‘ser saudável’, transformar os surtos de fazer exercício em um hábito, a alimentação saudável consequência. Esses pontos serão de suma importância para todos os itens à cima, afinal Poker além de gastar muita energia é um esporte da mente, o corpo precisa estar alinhado!

5- Ações sociais.
Antigamente era algo mais constante, em 2013 consegui poucas vezes fazer algo para ajudar quem precisa. Mas a meta de 2014 será tornar isso uma constante. Primeiro, que nos torneios lives ajudarei o Instituto Mentes Brilhantes com 1% da premiação e o segundo e mais importante é colocar a mão na massa, voltar a ajudar servir sopão, ir alguma creche ou participar de algum projeto como o Teto.org. A parte financeira com certeza é essencial, mas colocar a mão na massa sempre nos trás muitas lições.

6- Família.
Em 2013 do nada tudo ficou uma loucura, muito trabalho pouco tempo e quem mais sofreu com isso com certeza foi minha família, querendo ou não eu estou fazendo aquilo que mais amo e o tempo voa, conhecemos lugares legais e temos experiências diferentes, só em Vegas foram mais de 50 dias, ou seja, mesmo que eu sentindo uma imensa falta ainda estou em algo que gosto muito, então é ‘menos dolorido’. Ainda não sei bem como, mas vou tentar conciliar toda a rotina à cima para que haja mais tempo para as pessoas que mais amo, até por que, tudo que listei só faz sentido por causa deles.

Só tenho a agradecer por 2013 e todos os esforços serão para que 2014 seja ainda melhor!

E que venha 2014!

Uma retrospectiva de 2013 – PT2

E então lá vamos para a parte 2 da retrospectiva!!

6- CTSuperPoker e Trabalhos Paralelos!! Desde o começo do ano havia pego alguns trabalhos paralelos, todos relacionado ao Poker, afinal, um pouco de dinheiro sem variância não faz mal a ninguém e só iria me ajudar mesmo. Felizmente gostaram daquela primeira transmissão que fiz, como o Bueno era um cara bem relacionado e tinha 12 casamentos por mês eu ia substituí-lo nos comentários. Já sobre o CT abracei o projeto administrativamente, coloquei o site para rodar, perdi noite fixando bugs com o técnico, outras noites respondendo email e editando vídeo, mas foi uma felicidade sem igual e o site foi para o ar e descobrimos o triplo de bugs =) Hoje mesmo com muita coisa a melhorar o CT já quebrou todos os recordes e vocês nem imaginam o quanto de melhoria vem por ai!!

7- Mais de 1k seguidores no Twitter! Esse foi um dos que mais curti, passei uns dois anos com 40 seguidores… comecei o ano com… sei lá… 130 seguidores e fecho o ano com quase 1100 !! Tanta gente lendo o que escrevo e o que compartilho sempre foi inimaginável e tudo graças ao Poker, talvez 90% do que eu escrevo seja relacionado ao Poker e de alguma forma ajudei algumas pessoas a evoluírem no jogo e talvez quebrar alguns preconceitos com a história de evolução! Ano que vem será que dobramos esse número?!
8- Passar de 100k cashes no PokerStars. Uma meta que atingi “sem querer”, quando o ano começou não era uma meta, nem sequer reparava nesse número, pensava em exercer meu A-game e imprimir o maior volume possível. Esse número é o que mais representa o esforço e uma luz de trabalho bem feito! Vamos começar 2014 com foco total nisso e será uma meta a ser batida!

9- Começar 2014 ainda em 2013 !! É claro que os planos já começaram para 2014 e entre eles estava ir à Vegas, mas eu não imaginava que o caminho iria começar tão cedo, antes do meio de dezembro já comprei as passagens e o primeiro passo foi dado! Outro passo rumo à 2014 foi a satelitada para o BSOP em São Paulo que acontecerá em 30 de janeiro de 2014, no mesmo dia que comprei as passagens, joguei meu primeiro satélite e cravei a vaga para o BSOP, faltando quase 1 mês e meio para o evento já garanti minha presença.

E assim foi parte de 2013, já com um pé em 2014!! Agradeço todo mundo pelas mensagens e pelo apoio que sempre foi muito legal!!

Próximo post é com uma lista de metas!! Já tenho a maioria na cabeça, só falta passar para o papel!!

Vem coisa boa por ai !!

Abraços,
Ban!

Uma retrospectiva de 2013 – PT1

Uma coisa que sempre achei diferente no final de ano e nunca curti muito eram as retrospectivas. Primeiro que sempre focavam demais em alguma tragédia e na vista de algum cantor, pois bem, eis que passeando pelo Facebook encontro aquela retrospectiva de posts e vi o quanto 2013 foi especial para mim.

O ano até começou um pouco morno, estávamos de férias do Akkari Team e só depois do carnaval o nosso QG ficou pronto e junto com o QG ficar pronto aconteceu todas as coisas boas e também muitas inesperadas, vou tentar fazer em ordem cronológica, tudo que aconteceu em 2013 e não esperava:

1- Morar em um QG. Desde que conheci o Poker me apaixonei, virei um verdadeiro amante do esporte mas alguns anos atrás não me imaginava morando em um QG, com infraestrutura, professores e profissionais da área maximizando o aprendizado e resultados. Sem dúvidas eu poderia citar o QG em todos os próximos itens, fora do aspecto familiar, foi o item mais importante para a minha evolução.

2- Participar ativamente de Cursos de Poker. Em março houve o primeiro curso no QG, felizmente pude participar de certa forma ajudando, seja na hora de montar uma bancada ou tirando dúvida de alunos durante os breaks! Além de ter sempre me ajudado a evoluir muito (8 Cursos já!!) felizmente fiz ótimas amizades e conheci pessoas queridas.

3- Transmissão TvPokerPro no Masterminds. Acho que só o Victor Marques sabe o quanto eu era grinder da tvpokerpro, assistia todos os dias durante o grind, participava de todas as promoções e usava o espaço para tirar dúvidas. Eu ia jogar o MasterMinds 3 junto com todo o time e na vespera fui convidado a foldar o meu primeiro torneio ‘sério’ ao vivo para fazer os comentários ao lado daquele que foi sempre um dos meus ídolos no poker, em nenhum momento a recusa passou pela minha cabeça, foldei algo que poderia ter mudado minha carreira como jogador, mas as portas que se abriram depois só estão fazendo eu alcançar aquela carreira de jogador com mais solidez e segurança. Só tenho a agradecer!!

4- Ajudar na evolução de outros jogadores no Akkari Team Micro. O segundo Akkari Team Micro a essa altura já estava no QG e alguns outros times micro iriam passar por lá, depois que o formato mudou para 1 mês. Vou enfatizar mais uma vez as ótimas amizades que fiz, o quanto eu aprendi e que felizmente pude passar um pouco de conhecimento para aqueles que estavam tão perdidos quanto eu estava quando dei os primeiros passos.

5- Viiivaaaa Las Vegas!! Essa sem dúvida foi a coisa mais inesperada do ano, receber o convite para ir à Vegas, com tudo pago, fazer um trabalho junto com a TvPokerPro e ganhar uns trocos e ainda estar “vivendo” todos os torneios da WSOP. Acompanhei literalmente todos os torneios – Ok!! Ok!! Foldei um de Razz, que fomos para um lago muito louco – mas até bolha de torneio de Omaha de 2h 46min eu enfrentei!! E isso me deu muita experiência e muita bagagem, sem falar em uma vontade insana de evoluir como jogador e como pessoa!! Sentia uma saudades maluca de casa, da família e da namorada, a minha vontade era levá-los todos para lá e não voltar rsrsrs.

 

Uffaaaaa essa foi só a primeira parte da retrospectiva!! Até o final da semana sai a parte dois!!

 

Abraços

Ban

E assim foi o dia 1A do CPH!

Caraca depois de tudo que aconteceu ontem não sei nem por onde começar esse post!! Foram tantas coisas fora do comum mas vamos lá…

Quem me conhece um pouquinho mais, não precisa ser muito, seja das transmissões ou dos posts sabe que minha experiência no jogo live era quase zero, só não era zero pela bagagem que eu adquiri durante 60 dias em Vegas e pelas transmissões da Tv Poker Pro onde passava quase 12 horas por dia analisando jogadas e o que acontecia na mesa, além da cornetada =)

Antes de eu chegar na mão que eu cai com quase 8 horas de jogo, antes de mais nada só tenho a elogiar a estrutura do CPH, com certeza deveria ser adotada por demais torneios estruturas similares, onde o jogo permanece deep com uma média legal, coisa parecida só no BSOP!

Sobre o fato de eu ser mirim/fraldinha nos lives ontem talvez tenha sido um marco sem precedentes na minha carreira, a experiência que eu ganhei, algumas mãos que eu joguei foram e serão essenciais para a minha formação. A mesa da Tv estava bem difícil, não digo que tinha pessoas com elevado nível de conhecimento ou estratégia, mas todo mundo ali sabia (e bem) o que estava fazendo, a exemplo de não profissionais como o Robigol e Uelton Lima. De profissionais passou o SantaLucia que já tem um LAPT no curriculum e o “Cha”, esse Cha é um regular de live, não o conhecia antes e se teve alguém que eu me surpreendi com o jogo foi ele, bastante sólido mas muito para frente, fletava sempre em posição algumas mãos que desenvolviam bem e sabia extrair valor quando tinha.

Foi justamente contra o Cha que joguei meus melhores pós flop e que fui ownado no pré flop na mão que cai.

O jogo online é fundamental para a formação de um jogador, o número de mãos que joguei ontem talvez tenha sido o que jogo nos primeiros 30minutos de uma reta de domingo. Mas comecei a aprender algo que eu não tinha com o online, que era analisar as pessoas, bater o papo, estar descontraído até que uma mão maior ou uma ação mais pesada acontece.

Não digo que no online não analiso as pessoas ou não rola uma tensão, mas é tudo diferente, ali você esta dentro da mesa, sentindo o que está acontecendo e literalmente vivendo aquilo. E repito, nunca imaginei que iria aprender tanto em tão pouco tempo. Quando voltar a campo nas telinhas do Pokerstars darei muito mais trabalho!

Houveram algumas mãos que eu gostei muito, como um fold de AA no flop Jh9h4d contra o Cha, não era um fold fácil mas ele agiu da mesma maneira de quando havia trincado outras vezes, mesma postura, mesmo sizes, mesma forma de pegar nas fichas. Muckei o AA e ele o melhor set, de valas.

Algumas mãos variadas que gostei bastante também foram algumas que consegui extrair valor no river overbetando, tinha 2 no pote, betava 4 e eles pagavam com qualquer segundo par!

Outra adaptação que senti um pouco de dificuldade no começo mas é bem comum e logo logo estarei bem adaptado é o fato de você subir e ter mais 6 pessoas na mão junto contigo rsrsrs. ou então os sies de 3bet que se eu continuar fazendo o mesmo do online vou tomar call até do Dealer!!

E foi justamente em uma mão similar que cai, o jogador em utg abre 3x, o Cha em early position dá call, mais um call, Uelton também da call e Marujo no CO dá uma mini 3bet e a ação chegou até mim no botão que vejo QQ. Minha preocupação inicial era com o primeiro jogador que tinha feito o raise, sabia que ele podia ter qualquer abacaxi ali, mas era o único que podia ter algo mais forte, afinal, todos fletaram, pensei mais um pouco e estourei all in, era muido dead money na mesa, quase 20bbs e eu com um stack de 35… o primeiro fold e para minha surpresa o Cha estoura por cima… sick demais… ali já sabia que coisa boa não vinha, o resto da minha leitura estava correta, todos foldaram inclusive o Marujo que tinha 3betado, pelo size e pela forma não consegui dar credibilidade para a 3bet dele então não era preocupação. Fomos para o showdown e o Cha tinha AA… só conseguia pensar “caceta!! que flat foi esse!!??” Sinceramente não gosto nenhum pouco, a mesa inteira estava pagando toda hora, era sempre pote contra 5, só fletar esse AA era perder ev pela quantidade de gente, ele teria que jogar de forma mais comedida e não extrair valor suficiente, a menos que encontrasse um cooler, como foi o que aconteceu quando eu estourei a QQ.

E assim ggzei do torneio. Com uma das piores sensações do mundo hahaha… não sabia que era tão ruim cair de um torneio ao vivo. Situações como essa acontecem todo dia na mesa, no online até muitas vezes por dia pela nossa quantidade de tela. Mas ali ao vivo, a mesa inteira olhando, aquele silêncio enquanto o dealer Tininho batia o flop e nada mudava era uma situação única. E deu aquela sensação ruim por que joguei muito bem durante todo o torneio.

Só teve uma mão que eu não gostei como joguei que foi um 33 que tentei blefar turn, em um board todo catrupe lá para cima e tudo em paus. Se aposto aquele turn, tenho que apostar o river, já que foi uma blank total. Acho que seria pago da mesma maneira na aposta no river, mas era o certo a se fazer, não fiz e perdi um pote legal pouco antes da mão que cai. Talvez esse 33 tenha jogado mal por não conhecer o adversário e também pelas longas horas, já estava levemente cansado.

E assim foi o breve resumo do meu primeiro torneio oficial ao vivo. Se tudo der certo hoje vamos para o dia 1B do CPH!

Boa sorte para nós!!!

Vamoooo

Hoje é dia de Poker ao vivo!!

Como comentei no post passado, queria e muito começar a ganhar mais experiência no live, ter um plano bastante sólido para 2014 junto com o grind insano do online. Se a meta do live é grindar os paralelos de Vegas como os DeepStack do Venetian e os de excelente estrutura do Ceasar, para o online vamos atrás de cada vez mais subir os limites e passar dos 300k cashs e não seria impossível algo entre os 40% de ROI, ou seja, quase dobrar os números de 2013.

Vamos trabalhar e estudar cada vez mais para isso!

 

Tracei o plano para jogar as primeiras etapas do CPH e as etapas de São Paulo do BSOP, mas como tudo acontece tão rápido, estou rumando para o H2 ! Jogarei a última etapa do CPH e começamos a buscar experiência antes ainda! Tenho certeza que vou dar algumas baralhadas por não ter experiência em live mas o primeiro passo foi dado!

A primeira vaga já ganhei via satélite, então estará bem sossegado dentro do bankroll, caso tenha que jogar o dia 1b e 1c tenho o respaldo do Steal Team e vamos para cima deles!

 

Gl Gl para nós!

Um pouco sobre HUD.

 

Estamos no meio de mais um curso aqui no QG Akkari Team, o oitavo e último do ano. Sempre que tem um break e vamos conversar com os alunos alguns questões são unânimes, as mesmas perguntas aconteceram no primeiro, terceiro, em todos os cursos e breaks.

Hoje vou falar bem por cima de uma delas que é o uso do HUD (Holdem Maneger / Poker Tracker ), as perguntas mais recorrentes são, quase que nessa ordem:

– Devo usar?
– Quais stats usar?
– É possível jogar MTT sem usar HUD?
Vale lembrar que o que falamos é sobre MTT e muito eu aprendi por experiência própria, ninguém chegou e me contou ou disse que disse. Comecei a jogar SnG’s e em grande volume, por session de longuíssimas horas – como gosto a valer. O HUD era algo que sem provavelmente eu não seria um jogador lucrativo, talvez eu nem conseguisse sentar na mesa estava condicionado ao pfr / vpip de uma forma sem igual. A minha transição quase que definitiva para os torneios aconteceu quando entrei para o Akkari Team, lá em 2012, e uma das coisas que lembro e muito de quando entrei era justamente as perguntas “Sério mesmo que o Akkari não usa HUD ?”, “Quais Stats o Padilha prefere?!”, e poootz para a minha surpresa, quando fui para o QG a primeira vez lá no Tatuapé ainda foi que eles não usavam nenhuma, quase que entrei em choque rs., quando descobri que o Pessagno com todo o volume do jogo e resultados também não usava descobri que algo de errado tinha e fui atrás das razões e motivos.

O consenso é que o uso do HUD prejudica você ter uma análise “sua” do que está acontecendo na mesa, é você ser forçado a pensar o que está acontecendo na mesa e na pancada você desenvolver aquilo que algumas pessoas chamam de “feeling”. Você está tão condicionado a prestar atenção na mesa que você não precisa de um programa te dizendo que tem um jogador 6/6 e outro 37/35… você de tanto jogar, prestar atenção e buscar a dinâmica, entende quem é o nit da mesa, quem é o maníaco. Junto com a sua leitura que está desenvolvendo vai criar outra ferramenta que mata o joguinho, vai fazer mais notes, as notes serão pessoais e de acordo com a sua leitura, acabou aquilo de ‘piloto automático” você vai começar a pensar o jogo, mapear o seu adversário e realmente começar a jogar poker, em pouco tempo não vai mais depender do HUD. É claro que para isso talvez você precise diminuir o número de mesas, mudar um pouco o avg bi, mas depois que se acostumar vai realmente matar o joguinho de uma forma muito mais positiva e lucrativa.

Isso tudo não quer dizer que seja ruim o uso do HUD, mas para MTT no próximo post vou dar mais detalhes do por que é tão importante essa leitura “pessoal” sua, o que nesse aspecto difere o HUD em MTT, SNG e Cash Game. Conheço excelentes jogadores que usam o HUD, como Headão e Cresp0, porém esses jogadores já desenvolveram e maximizaram a leitura da mesa, eles não dependem do HUD para saber o que está acontecendo e usam apenas como ferramenta auxiliar, como um background e não como ferramenta “essencial” como era o meu problema no começo e é o de muitos que estão começando.

Abraços,
Ban